Início > Notícias > Prefeitura Informa > Foi eleita a nova diretoria do Consórcio de Desenvolvimento Ambiental do Norte de Minas (Codanorte)



Foi eleita a nova diretoria do Consórcio de Desenvolvimento Ambiental do Norte de Minas (Codanorte)



filler image


 Foi eleita a nova diretoria do Consórcio de Desenvolvimento Ambiental do Norte de Minas (Codanorte) e a aprovação do orçamento para 2017. A eleição foi realizada, nesta terça-feira (24), com uma única chapa. O presidente eleito é prefeito de Itacambira, João Manoel Ribeiro; para o cargo de diretor operacional, o prefeito de Ibiaí, Larravardierie Batista Cordeiro; e o diretor financeiro, o prefeito de São João da Lagoa, Carlos Alberto Mota Dias. O ex-prefeito de Patis, Vinícius de Paula Versiani, atuou como presidente do Codanorte desde a sua criação parabenizou João Manoel Ribeiro, que garantiu que dará prosseguimento aos programas e ações que o ex-presidente iniciou, principalmente o projeto “Norte sem Lixões”. Norte sem Lixões O Programa de Educação Ambiental é o projeto mais visado do Codanorte e é incentivada pelo Ministério Público do Meio Ambiente. Fruto de uma cooperação técnica entre o Codanorte e do Instituto Prisma, o projeto realizou no segundo semestre de 2015, dois processos licitatórios, um para contratar uma empresa especializada para receber e dispor os resíduos sólidos urbanos em um aterro licenciado, e a segunda licitação, para realizar transporte dos resíduos do município de Montes Claros até o aterro sanitário da cidade. As cidades consorciadas a Codanorte, que empreenderam recursos próprios, apoiados pelo Consócio para construir o aterro de pequeno porte, foram: Itacambira, Lagoa dos Patos, Patis, São João da Lagoa, Ponto Chique e São João do Pacuí. As autorizações de funcionamento já foram expedidas pela Superintendência Regional para o Meio Ambiente (SUPRAM) Regional Norte. Codanorte Criada em 2013, o consórcio atua na área de saneamento básico e disposição de resíduos sólidos para planejar e executar projetos com o objetivo de desenvolvimento regional sustentável. Os municípios que compõem a associação são: Bocaiúva, Botumirim, Buritizeiro, Campo Azul, Capitão Enéas, Claro dos Poções, Coração de Jesus, Cristália, Engenheiro Navarro, Francisco Dumont, Francisco Sá, Glaucilândia, Grão Mogol, Guaraciama, Ibiaí, Ibiracatu, Itacambira, Japonvar, Jequitaí, Josenópolis, Juramento, Lagoa dos Patos, Lontra, Mirabela, Montes Claros, Olhos D`água, Padre Carvalho, Patis, Pirapora, Ponte Chique, São João da Lagoa, São João da Ponte, São João do Pacuí, Várzea da Palma e Varzelândia. Aterro Foi anunciada a criação de um aterro sanitário público em Montes Claros, nas proximidades da cidade de Mirabela, para atender a demanda dos municípios que ficam naquela parte da região, além de outros dois nas cidades de Grão Mogol e Pirapora. Os recursos estão sendo viabilizados junto ao Ministério de Meio Ambiente, dentro do projeto “Norte de Minas Sem Lixo”. Atualmente Montes Claros tem o Aterro Sanitário que é particular, da empresa Viasolo e que fica na direção das cidades de Glaucilândia e Juramento. No Norte de Minas, o único aterro público está em Janaúba, inaugurado em 2011 e viabilizado pela Codevasf. Ficou definido que será viabilizado os três aterros sanitários em Montes Claros, Grão Mogol e Pirapora e criada Usina de Compostagem nas outras cidades, onde se buscará a reciclagem do lixo coletado, tendo em vista que 80% deles podem ser reaproveitados, pois 50% são materiais orgânicos e 30% de outros materiais. Somente 20% é que precisará ser levado para o aterro sanitário. Os estudos apontam que nos 10 municípios se produz 300 toneladas por dia de lixo, sendo 240 toneladas somente em Montes Claros. Educação Ambiental Outra iniciativa foi realizar o projeto de educação ambiental, quando serão realizadas 190 palestras e 180 oficinas pedagógicas nas escolas de todos municípios jurisdicionados, em parceria com o Ministério Público de Minas Gerais. O ex-presidente do Codanorte, Vinicius Versiane de Paula mostrou a importância de atuar nessa área, pois Patis recebe atualmente R$ 17,2 mil do ICMS Ecológico, enquanto Mirabela, que não se adequou as normas, recebe R$ 1,086 mil. Além disso evita problemas com o Ministério Público, que tem atuado para evitar o lixão a céu aberto. fonte:http://webterra.com.br/noticia/8968/codanorte--elege--diretoria
Últimas Notícias